sábado, 25 de junho de 2011

O PÁRA-RAIOS

As torres em geral tem um pára-raios instalado em sua extremidade superior. A função deste pára-raios é proteger a antena e o sistema de sinalização (balizamento) contra a queda de raios diretos. Se a torre for metálica e não tiver sinalização, poderemos eliminar o páraraios desde que a antena seja instalada abaixo da ponta da torre.




Se a torre for de madeira é necessário sempre a instalação do pára-raios. O pára-raios protege a antena porque o mesmo está mais alto que a mesma. O tipo de ponta do páraraios não influencia em nada, sendo que a utilização de pára-raios de três pontas somente propicia alguma vantagem estética (alguns acham mais bonito o pára-raios de mais de uma ponta!).



O cabo de descida
É usual a interligação do pára-raios com a malha de aterramento através de um cabo de cobre. Em torres de madeira isto é uma prática obrigatória. Em torres metálicas muitas vezes tal cabo é desnecessário. Nas torres metálicas a função do cabo de interligação e proteger o cabo de HF, que interliga a antena ao rádio e os cabos do sistema de balizamento. Sendo a torre metálica e de diâmetro muito maior que o diâmetro do cabo de interligação a maior parte da corrente de descarga irá descer pela torre. Sendo a torre muito alta a queda de tensão na mesma provocada pela circulação de corrente poderá atingir valores elevados. Será aplicada entre o cabo de HF e a extremidade superior da torre. Se esta tensão for superior ao valor suportável pelo isolamento do cabo de HF, teremos a formação de um
arco elétrico entre a torre e o cabo, provocando um dano permanente no cabo.A colocação de um cabo de cobre em paralelo com a torre garante menores valores de tensão porque a resistência do cabo de cobre é menor que a resistência da torre de aço.
   Muitas vezes este cabo de interligação é isolado da torre por pequenos isoladores de porcelana ou resina. Do ponto de vista elétrico tais isoladores são ineficazes, pois não suportam as tensões impostas pela descarga atmosférica e além disto não teríamos nenhuma vantagem em isolar o cabo da torre. Do ponto de vista mecânico eles evitam choques e  atrito do cabo com a torre e do ponto de vista de corrosão eles evitam o contato entre metais diferentes ( cabo de cobre e torre de aço galvanizado).

A proteção do equipamento

Do ponto de vista de segurança pessoal vimos que a solução mais adequada é adotar uma malha equalizada e mesmo assim alguns riscos ainda existem. A proteção dos equipamentos depende basicamente de três fatores: instalação de protetores nos cabos, blindagem eletromagnética dos equipamentos e arranjo da fiação.

A blindagem eletromagnética

Mesmo descargas que caem longe do sistema induzem tensões elevadas. O rádio ou equipamento está sujeito aos campos eletromagnéticos criados pelas descargas que caem na torre e também descargas que caem nas proximidades. O princípio básico da lei de Faraday estabelece que os campos eletromagnéticos não penetram em um volume metálico fechado, desde que a espessura da parede seja adequada. Baseado neste princípio podemos afirmar que se os equipamentos fossem colocados em caixas metálicas eles seriam imunes a estes campos criados pela descarga ( lembremos do caso dos aviões que são regularmente atingidos por raios, não apresentando problemas e não tendo malha de
aterramento).
   A utilização de armários para a instalação dos equipomentos é a solução ideal. No caso de equipamentos de pequeno porte isto é viável. Para equipamentos maiores a prática usual é instala-los em prédios de alvenaria. Tais construções precisam ser dotadas de algum tipo de blindagem. Mesmo considerando-se que os equipamentos individuais são encapsulados em caixas metálicas, tais caixas são interligadas por fiação e esta fiação será submetida aos  campos criados pelas descargas provocando o aparecimento de tensões induzidas nos equipamentos.