quinta-feira, 19 de março de 2015

Como funciona o sistema TRUNKING de comunicação


A técnica da troncalização (trunking) teve início com a telefonia baseada em centrais de comutação. Num sistema telefônico diversos usuários (assinantes) estão conectados às centrais de comutação, havendo uma conexão física de cada estação de usuário a uma central A técnica da troncalização (trunking) teve início
com a telefonia baseada em centrais de comutação. Num sistema telefônico diversos usuários (assinantes) estão conectados às centrais de comutação, havendo uma conexão física de cada estação de usuário a uma central.
Ao considerarmos a frota de veículos que necessite se comunicar com uma central via rádio, uma solução possível seria subdividir o tráfego de comunicação em diversos canais, utilizando diversas frequências de rádio, alocadas a grupos, porém, dependendo da quantidade de tráfego e da localização dos veículos e outros fatores, alguns canais poderiam estar mais congestionados do que outros, Nesse caso, alguns canais estariam muito ocupados, dificultando a comunicação, enquanto outros estariam ociosos.
Visando aumentar a capacidade de tráfego de comunicação em uma rede de rádio foi criado o sistema de radio trunking, no qual todas as frequências estão disponíveis e vão sendo alocadas de acordo com demanda, à medida que cada usuário requer acesso ao sistema. Os usuários são alocados em grupos lógicos de conversação para compartilhar seus dados, de maneira mais eficiente que num canal em radiofrequência dedicada, são os chamados talk group. Quando um usuário quer falar com um grupo, o transceptor envia um pacote de dados a uma central controladora, que emite um sinal digital a todos os rádios que monitoram esse grupo, instruindo os rádios para mudar automaticamente para a frequência indicada pelo sistema a fim de que possam monitorar essa transmissão.


Depois que o usuário terminou de se comunicar, os rádios dos usuários retornam a monitorar os canais de controle para transmissões adicionais. Este arranjo permite que os vários grupos de usuários compartilhem de um conjunto restrito de frequências (canais) reais sem ouvir outras conversações. Os sistemas de Rádio Trunking diferem dos sistemas de rádio convencionais, que utilizam um canal exclusivo (frequência) para cada grupo de usuários, enquanto que os sistemas de rádio do trunking usa uma associação de canais que estão disponíveis para um determinado grupo de usuários. Um sistema de rádio troncalizado utiliza-se de protocolos de comunicação tanto para garantir a segurança quanto para interagir com outros sistemas. Basicamente existem dois protocolos: o TETRA, utilizado principalmente na Europa, e o APCO P25 utilizado nos Estados Unidos.


No sistema trunking, o Conjunto de Infraestrutura de Concentração de Radiofrequência, tem a funcionalidade de concentrar os sinais de RF, permitindo que seja reduzido o número de antenas necessárias no sistema. Para realizar esta atividade, dois equipamentos tem um papel essencial: o combinador que é responsável por unir a transmissão das repetidoras do sistema a uma única antena. E o multiplexador, responsável por amplificar e dividir o sinal de recepção entre todas as repetidoras do sistema. Para permitir que as repetidoras possam ser utilizadas com o melhor desempenho possível, os sistemas trunking possuem um controlador, responsável por coordenar como os usuários utilizam os canais disponíveis, além de permitir que recursos avançados sejam incorporados ao sistema, a exemplo do bloqueio de rádios perdidos.


O sistema é estruturado da seguinte forma: Zonas que é um grupo de sítios conectados ao mesmo Master Site; Sites (Sítios) que é um grupo de canais na mesma banda de frequência gerenciados pelo mesmo controlador. Usuários são todos os grupos e/ou indivíduos (equipamentos) registrado em cada sítio. Cada
sistema poder até 16.777.215 indivíduos e 65535 grupos.
Nas redes troncalizadas as condições de comunicação em que o usuário está sujeito são as seguintes: Wide Area Trunking. É a comunicação entre os sítios através do Master Site.



Site Trunking, é quando a comunicação entre um sítio e o sítio Mestre se perde, os rádios dentro desse sítio podem seguir comunicando-se entre eles usando qualquer dos canais desse sítio.


Failsoft - Quando não é possível a comunicação troncalizada, os rádios podem seguir comunicando-se como se estivessem em um sistema convencional.


Características e vantagens do Sistema Troncalizado 

A rede troncalizada tem como principais características: canal de controle, chamadas em grupo, chamada de multigrupo, chamadas privativas, chamada de alerta/emergência, fila de espera, prioridades de acesso. Todos os usuários compartilham todos os canais, e em segundo lugar nenhum canal permanece livre enquanto existir necessidade de comunicação. Quando um usuário regressa à área de cobertura, liga o seu rádio depois de um período de inatividade ou finaliza uma chamada privativa, a unidade de rádio se incorpora automaticamente ao grupo ao qual pertence. Privacidade, os usuários ouvem apenas a conversa destinada ao seu grupo, pois naquele momento possuem uso exclusivo do canal alocado. Em qualquer outro momento seus rádios estão silenciados. Levando em consideração que a comunicação em um sistema troncalizado é realizada em um canal, selecionado pelo controlador, torna-se muito difícil escutar a comunicação de um grupo especifico de usuários. Esta privacidade é ainda maior quando temos criptografia no sistema. Quando uma repetidora convencional apresenta falha ou sofre interferência, os usuários alocados neste canal determinado perdem a capacidade de comunicação. Com o sistema trunking caso uma repetidora falhe o controlador detecta o problema e não aloca está repetidora como canal de conversação, até que a mesma seja recuperada ou que a possível interferência desapareça. É possível realizar o gerenciamento de todas as comunicações efetuadas, permitindo a identificação do rádio, grupo de conversação, canal utilizado e tempo de duração de todas as chamadas. Em uma comunicação caso não haja canal de voz disponível neste momento, o Controlador avisa o usuário por meio de um tom audível de ocupado e o coloca em uma fila de espera organizada do tipo FIFO (First in, First out), obedecendo aos níveis de prioridade. As chamadas de emergência possuem o maior nível de prioridade. Este processo ocorre através do canal de controle sem haver necessidade de ocupar um canal de voz. Desta forma o sistema otimiza a utilização dos canais de voz durante períodos de alto tráfego. No instante em que um canal de voz se torna livre, o sistema, através do canal de controle, designará automaticamente o próximo canal disponível ao primeiro usuário na fila de espera. O Controlador do Sistema identifica quais usuários estão envolvidos em uma conversação, a hora em que a conversação se realizou, a duração da chamada, que canal foi utilizado, etc. Estes dados permitem levantar estatísticas de utilização e permitem um controle preciso sobre a utilização e a eficiência do sistema.