quinta-feira, 21 de abril de 2011

Como funciona e Por que ter um radioamador?

Um adolescente na Flórida faz amigos via rádio com jovens na Alemanha. Um engenheiro de aeronaves em Washington participa de um concurso anual e troca indicativos com radioamadores de cem países durante um único fim de semana. Na Carolina do Norte, voluntários enviam mensagens de saúde e de ajuda humanitária após a passagem de um furacão.
Essa mistura de divertimento, serviço de utilidade pública, amizade e conveniência é o recurso principal do radioamador. Curiosidade: nos Estados Unidos, os radioamadores recebem o apelido de "ham", palavra que significa literalmente "presunto". A verdadeira origem desse termo parece ter se perdido no tempo, mas há várias teorias. Ele pode ser simplesmente uma maneira abreviada de dizer a primeira sílaba de "amateur radio", como se diz por lá, ou pode ter sido usado originalmente como uma ofensa. Os radioamadores entram neste ramo por várias razões, mas todos eles possuem um conhecimento básico da tecnologia, regulamentações e princípios de operação do rádio.
Um aparelho de rádio amador pode ser portátil e acessível. Veja como iniciar nesse mundo da comunicação sem fronteiras!

O radioamador se destina àqueles que gostam de se comunicar com outras pessoas por meio da tecnologia sem fio. Ele também serve para pessoas que gostam de experimentação. Os operadores de radioamador licenciados se comunicam uns com os outros em locais próximos, por todo o país, ao redor do mundo ou até com astronautas no espaço! 




Os radioamadores constituem um grupo mundial de pessoas que se comunicam uns com os outros ao longo de um amplo espectro de frequências usando muitos tipos diferentes de modos de transmissão sem fio.
Freqüentemente, os jovens radioamadores têm uma chance de encontrar outros radioamadores de várias idades e profissões. Entrar em rede com freqüência pode ajudar os adolescentes quando eles estão fazendo opções de carreira ou opções educacionais e querem obter conselhos (de profissionais em muitas áreas técnicas), que talvez seus pais ou orientadores não possam fornecer.